domingo, abril 18, 2021
Brasil
141,999,954
Total de casos confirmados
Updated on 2021-04-18 22:56

PF desarticula organização que fraudava saque de auxílio emergencial

Publicidade (1) 800 200

Uma organização criminosa especializada em aplicar fraudes no benefício social auxílio emergencial e em precatórios judiciais é o alvo nesta quarta-feira (31) da Operação “Et Caterva”, da Polícia Federal. Entre os fraudadores estão advogados e funcionários públicos. “Inicialmente as fraudes eram perpetradas buscando o recebimento indevido de precatórios judiciais, os quais, após os desvios orquestrados pela organização criminosa, eram destinados a terceiros partícipes do esquema. Tais ações resultaram no levantamento ilegal de mais de R$ 13 milhões em precatórios judiciais, além de mais de R$ 2,7 milhões em tentativas de saques em várias regiões do país”, adiantou a PF em nota.

Investigações

Segundo as investigações, servidores de instituição bancária forneciam informações sobre precatórios à disposição para saque. As fraudes também tiveram participação de um servidor do Tribunal Regional Eleitoral/MT. Os criminosos faziam documentos falsos com os dados dos beneficiários dos precatórios e as fotografias dos estelionatários, que se dirigiam ao banco para realizar os saques do valores. Uma vez efetuado o levantamento do precatório, o montante era pulverizado em diversas contas para ocultar a origem ilícita.

Depois da interrupção temporária do pagamento de precatórios pela Caixa em 2020, a organização criminosa passou a cometer fraudes em parcelas do auxílio emergencial. Entre os meses de abril de 2020 e março de 2021, 1.570 saques de benefícios foram feitos ilegalmente, resultando em um prejuízo superior a R$ 1,3 milhão.

Mandados

Na ação de hoje mais de 260 policiais federais cumprem 12 mandados de prisão (quatro preventivas e oito temporárias), 77 mandados de busca e apreensão e sequestro de bens e, ainda, nove medidas de suspensão do exercício da função pública. Os mandados foram expedidos pelo Juiz da 5ª Vara Federal da Seção Judiciária de Cuiabá/MT, e seus cumprimentos ocorrem no Estado de Mato Grosso e em outros 11 estados.

Nome

“Et Caterva”, nome da operação, é uma expressão em latim, utilizada de forma pejorativa, que denota a ideia de um grupo de comparsas, visto que a investigação identificou um grupo de pessoas que se uniram no propósito de cometer os delitos hoje desarticulados. Por Karine Melo – Repórter Agência Brasil

Publicidade (2) 800 200
Publicidade 1
Publicidade 2
Publicidade 3
Publicidade 4

Mais Notícias

Toque de recolher começa mais cedo nos 49 municípios que oferecem alto e extremo risco de transmissão da Covid-19

Segundo a Consultoria Legislativa do Governo do Estado, o decreto que impõe toque de recolher conforme a classificação de risco do município dentro do Prosseguir

Mega-Sena tem apenas um acertador

Prêmio estava acumulado em R$ 40 milhões

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em junho

Benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375

Centro-Oeste do país tem previsão de domingo (18) com tempo abafado

A temperatura na região pode variar entre 15 e 36 graus

MT: Cantora gospel, diz que adolescente gostou de ser estrupada por pastor

Pastor da igreja Assembleia de Deus,é acusado de abusar de uma adolescente no Mato Grosso.
Publicidade (3)
Publicidade (4)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Content is protected !!
×

Olá!

Clique em um de nossos representantes abaixo para bater um papo no WhatsApp ou envie-nos um e-mail para contato@segundodiario.com.br

× Você Repórter