Arena Hits
AGRO DIÁRIO
SDiario
Entrevista ao SBT

General Villas Bôas defende legalização da maconha medicinal

Villas Bôas corre risco de não falar mais, devido a uma doença neuromotora degenerativa. Em meio a outras alternativas, o militar contou que foi apresentado ao canabidiol – um dos 113 compostos encontrados na maconha

04/08/2019 10h41Atualizado há 3 semanas
Por: Redação Segundo Diário
Fonte: SBT JORNALISMO / YOU TUBE
Foto Reprodução / SBT
Foto Reprodução / SBT

O general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do exército, atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, confirmou em entrevista exclusiva ao SBT que vai usar aparelho com tecnologia de comunicação pelo olhar.

Desde 2016, o general enfrenta uma doença neuromotora degenerativa que ataca os músculos e o fez perder os movimentos de forma acelerada. Sob o risco de perder a fala, Villas Bôas já pratica outras formas de se comunicar através de novas tecnologias, como aparelhos hand-free - que permite mover e clicar o mouse com a boca. O general também se adaptou a outros dois produtos, que utilizam os movimentos da boca e dos olhos para receber comandos.

A superação de obstáculos da doença neuromotora fizeram com que o general Villas Bôas decidisse abrir um instituto com ajuda da filha para divulgar, promover e auxiliar pessoas com doenças degenerativas a terem acesso à novas tecnologias.

O general defende, inclusive, a legalização do canabidiol - medicamento à base de maconha - para efeito medicinal, e vê como uma hipocrisia social a dificuldade para obter o medicamento no Brasil.

Respeitado por militares, pela sociedade civil e classe jurídica, Villas Bôas fala abertamente sobre as consequências da depressão, doença que o assola desde 2001. E comenta que, hoje, está muito bem.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.